Porque não devemos ignorar a força dos eleitores do Bolsonaro?


Será que não há relação o aumento de crimes contra as minorias com os discursos do deputado?

"Não vou combater nem discriminar, mas, se eu vir dois homens se beijando na rua, vou bater." Afirmação de Jair Bolsonaro no ano de 2002.

Em um debate político realizado em 2010 Jair Bolsonaro defendeu a punição de crianças que apresentassem supostos 'Traços homossexuais': "O filho começa a ficar assim, meio gayzinho, leva um couro e muda o comportamento dele. Olha, eu vejo muita gente por aí dizendo: ainda bem que eu levei umas palmadas, meu pai me ensinou a ser homem. A gente precisa agir." declarou. Já em 2011 o pré-candidato à presidência da república disse em uma entrevista: "Ninguém gosta de homossexual, a gente suporta". No ano de 2014 Bolsonaro declarou em uma entrevista "Ter filho gay é falta de porrada" no mesmo dia que um pai espancou o seu filho de oito anos por não aceitar 'Hábitos afeminados' do garoto.  De lá para cá os crimes contra LGBTQ+ só cresceram, em 2017 superamos as estatísticas, um LGBTQ+ é morto por dia, o Brasil é o país que mais mata LGBTQ+ no mundo todo.

Em dezembro de 2014 Bolsonaro disse a deputada Maria do Rosário "Não te estupro porque você não merece". Já em 2015 Bolsonaro afirmou "Mulher deve ganhar salário menor porque engravida". No início desse ano (2017) Bolsonaro declarou "Eu tenho 5 filhos. Foram 4 homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher". Uma pesquisa divulgada pelo Datafolha no início desse ano aponta que uma a cada três mulheres sofreram algum tipo de violência seja ela física ou psicológica. O número de violência física é ainda mais preocupante a cada hora 503 mulheres são vítimas de violência. A mesma pesquisa aponta que em 2016 cerca de 66% dos brasileiros já presenciaram uma mulher sendo agredida fisicamente ou verbalmente. Ao invés de diminuir, em 2017 a maioria dos brasileiros cerca de 73% tem a sensação que a violência contra mulher aumentou na última década, 76% das mulheres acreditam no mesmo.

Recentemente Jair Bolsonaro afirmou em entrevista que o Brasil é um estado cristão "A minoria que for contra que se mude". Neste ano o estado do Rio de Janeiro contabiliza cerca de 79 ataques a templos e também a seguidores de religiões de matriz africana, 39 desses ataques só nas últimas três semanas, o estado de São Paulo registrou 27 atos de violência nesse ano, oito nas últimas três semanas. O deputado vai contra o artigo 19° capítulo I, II e III da constituição brasileira de 1988 aonde deixa explicito que o estado brasileiro é laico. 

Além de declarações contra as religiões afrodescendentes, em 2011 no extinto programa CQC, Preta Gil questionou o deputado: "Se seu filho se apaixonasse por uma negra, o que você faria?" Ele respondeu: "Preta, não vou discutir promiscuidade com quer que seja. Eu não corro esse risco, e meus filhos foram muito bem-educados e não viveram em um ambiente como, lamentavelmente, é o teu". Bolsonaro fez declarações contra a comunidade quilombola e indígena brasileira: "Eu fui num quilombo. O afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador ele serve mais", afirmou. O Atlas da violência aponta que a chance de um negro ser assassinado no Brasil é cerca de 23% maior, a cada 100 assassinatos no Brasil, 71 são pessoas negras, A estatística de 2017 aponta aumentou a taxa de homicídios de negros enquanto diminui a mortalidade de brasileiros não negros. 

Poderíamos citar outros diversos discursos do pré-candidato da presidência da república, além dos discursos poderíamos citar os diversos processos que Jair Bolsonaro sofreu, poderíamos citar desses processos quais deles ele foi declarado culpado, mas o texto ficaria muito extenso. Mas será que não há relação o aumento de crimes contra as minorias com os discursos do deputado? Bolsonaro possui um grande cargo na política brasileira e tem uma grande visibilidade na mídia, logo tudo que aquilo que o deputado diz vira realidade para muitos. Agora imaginem Jair Bolsonaro ocupando um cargo ainda mais importante e tendo visibilidade internacional como o cargo de Presidente da República, o quanto as minorias estariam em perigo em relação as declarações machistas, sexistas, homofóbicas, racistas do pré-candidato. A força dos discursos de Bolsonaro e dos seus eleitores não deve ser ignorada, afinal não temos só um deputado que diz o que quer sem fundamento algum, temos os seus eleitores que acreditam naquilo que ele diz e levam aquilo como a única realidade. Bolsonaro e seus eleitores atingem as minorias por esses pensamentos retrógrados, além de ir contra as minorias, vão contra  a LEI Nº 7.716, DE 5 DE JANEIRO DE 1989 que diz que: "Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional".


Compartilhe

 
Copyright © Coletivo Caneca. OddThemes