27 de out de 2017

Meninas com Ciência


Docentes e discentes do Departamento de Biologia (DBio) UFSCar Sorocaba e do Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Recursos Naturais (PPGERN) tiveram a iniciativa de propor a execução do curso "Meninas com Ciência - Edição SP" durante o 2º semestre de 2017. 

A ideia surgiu no Museu Nacional/UFRJ e agora vai ser expandida na cidade de Sorocaba e a equipe acredita que essa iniciativa deva ser levada a todos os Estados. 

A proposta do curso é inserir mais meninas no ambiente acadêmico, já que atualmente é predominantemente masculino e no curso elas vão poder receber total suporte em materiais e em profissionais da área.

A estudante Luana Salum que está se graduando em Ciências Biológicas da UFSCar Sorocaba, junto com Thais Pansani que está na sua pós graduação na UFSCar se conheceram no XXV Congresso Brasileiro de Paleontologia em Ribeirão Preto, no qual ocorreu a primeira mesa redonda intitulada "Mulheres na Paleontologia" e durante a mesa redonda o projeto Meninas com Ciencia foi apresentado pela professora Luciana Witovisk, professora de paleobotânica no departamento de geologia e paleontologia do Museu Nacional.

A partir desse primeiro contato, as estudantes entraram em contato com a professora Luciana e assim surgiu a parceria para que o projeto chegasse em Sorocaba.  Preocupadas com os números mundiais em que apenas 15% das mulheres estão ocupando os cursos de ciências e no Brasil, esse número tem um diferença mínima de 20%.

O curso tem como base a interdisciplinaridade, realizada através da abordagem de assuntos como Astronomia, Paleontologia, Saúde, Geologia, Geografia, Fisiologia Animal, Evolução, etc. A cada sábado um tema sera trabalhado em peso, de forma dinâmica e priorizando as discussões e a real construção do conhecimento, de forma dinâmica, onde as meninas colocarão a "mão na massa", realizando o real trabalho da cientista que é: se questionar, discutir, investigar, procurar por soluções e explicar processos. As oficinas serão totalmente baseadas na criticidade e tem como objetivo alcançar esta nas meninas. Serão realizadas da forma mais pratica e real possíveis, dentro dos laboratórios do campus e no próprio campo - onde planejamos ate mesmo fazer uma caça a fosseis.

O projeto desde que chegou a cidade está em busca de escolas para divulgar!

O curso já conta com uma pagina no facebook e um siteO Projeto tem apoio da UFSCar Sorocaba e do programa Futuro Cientista, desenvolvido também no campus, alem do apoio da coordenadoria de Ciências Biológicas e do Museu Nacional no Rio de Janeiro, onde o primeiro curso "Meninas com Ciência" foi realizado

As oficinas
O projeto tem como base a interdisciplinaridade, realizada através da abordagem de assuntos como Astronomia, Paleontologia, Saúde, Geologia, Geografia, Fisiologia Animal, Evolução, etc. A cada sabado um tema sera trabalhado em peso, de forma dinâmica e priorizando as discussões e a real construção do conhecimento, de forma dinâmica, onde as meninas colocarão a "mão na massa", realizando o real trabalho da cientista que é: se questionar, discutir, investigar, procurar por soluções e explicar processos. As oficinas serão totalmente baseadas na criticidade e tem como objetivo alcançar esta nas meninas. Serão realizadas da forma mais pratica e real possíveis, dentro dos laboratórios do campus e no próprio campo - onde planejamos ate mesmo fazer uma caça a fosseis.

Sobre mulheres na Ciência
Os números mundiais são assustadores, em 2010 o numero de mulheres em cursos de ciencias exatas e tecnológicas eram de apenas 15%, ja no Brasil esse numero é um pouco maior, mas mesmo assim, baixo, chegando a 20%! Mas, o que é 20% numa sala de 60 pessoas? 12 mulheres para 48 homens! Vemos que no inicio da carreira cientifica, como na pos graduação e mestrado, as mulheres ainda se sobressaem um pouco, mas esse cenário muda quando falamos em doutorado e pos doutorado. As mulheres ganham menos, são cobradas pelas suas decisões pessoas - como casar e ter filhos, em toda a sociedade e também dentro da Ciencia. Em congressos, simpósios e eventos o numero de mulheres, em sua maioria, é muito menor que o numero de homens, as mulheres abandonam muito mais a carreira cientifica do que os homens - muitas passam pelo estagio iniciam e depois abandonam por falta de reconhecimento dos pares. Muitas sentem a necessidade de escolher entre casar e ter filhos ou seguir carreira cientifica, a pressão se torna tão grande que vincular o mundo acadêmico a construção da familia e o "papel da mulher" na sociedade. No caso da maternidade, por exemplo - "Essa interrupção não é contabilizada no caso de concessão de bolsas de produtividade do CNPq, que são reavaliadas a cada três anos. Se a cientista apresentou queda no número de publicações e resultados, não é porque a pesquisa parou, mas é porque ela precisou sair para cumprir a licença maternidade. Depois, quando apresenta resultado menor do que seus colegas, reforça o estereótipo de que é incompetente e que não leva jeito para a área."
Para que todos estes paradigmas sejam quebrados no mundo cientifico é necessário que as mulheres se interessem cada vez mais pela ciência e a agarrem de forma a defender seu posto com paixão e brigar para que mudanças sejam feitas.

Receptividade das meninas pela ciência
Nas escolas o interesse das meninas pelo mundo cientifico é baixo, muitas vezes a maior parte das participações em aulas de ciencias e geografia, por exemplo, vem dos meninos. De alguma forma as meninas nao se sentem impulsionadas ou interessadas pela ciência  pensamos nos, pelo fato de não ser um assunto vinculado a elas, sempre aos meninos, o cientista é sempre homem, e a ciência sempre é vinculada ao masculino.

Quem são as palestrantes
São todas voluntarias das mais diversas faculdades do estado de São Paulo -do estado pois não conseguimos verba para trazer cientistas de outras estados do pais. Elas prepararão suas aulas e irão por livre e espontânea vontade ate a UFSCar Sorocaba para ministrar seu curso! Todas mulheres, assim como as monitoras do curso, que são alunas de graduação e pos do campus Sorocaba da UFSCar.

De que maneira a população pode ajudar
Divulgando o curso! Em nosso site disponibilizamos a aba para inscrição das meninas! Todo o projeto esta programado e em andamento, e agora o estagio final é trazer as meninas para o curso! Dessa forma, estaremos indo nas escola para divulgação na semana que vem, e a internet é um grande facilitador! Então compartilhando o link da pagina do facebook e do site e enfatizando que as inscrições estão abertas e que quaisquer duvidas é so entrar em contato! Prometemos um mês incrível e de muitas descobertas para as meninas interessada

A programação será durante os sábados do mês de novembro no decorrer das 9h30 às 17h, dispondo de discussões sobre a área de Ciências da Terra e oficinas práticas sobre o trabalho de cientistas brasileiras. As atividades contarão com materiais e planos de atividades propostos pelas próprias ministrantes convidadas. No contexto de a carreira científica ser presumida predominantemente composta pelo público masculino, o curso tem como objetivo divulgar Ciência e as linhas de pesquisas de algumas pesquisadoras brasileiras/do estado de SP, sobretudo incentivar a participação de jovens meninas neste campo, elucidando que são capazes de produzir conhecimento científico e tecnológico, e que preconceitos de gênero devem ser rompidos.

Como o projeto chegou ate Sorocaba
Eu, Luana Salum - aluna de graduação em Ciências Biológicas da UFSCar Sorocaba e Thais Pansani, aluna de pos graduação da UFSCar, estávamos no XXV Congresso Brasileiro de Paleontologia em Ribeirão Preto, no qual ocorreu a primeira mesa redonda intitulada "Mulheres na Paleontologia", durante a mesa redonda o projeto Meninas com Ciencia foi apresentado pela professora Luciana Witovisk, professora de paleobotanica no departamento de geologia e paleontologia do Museu Nacional. Esse foi nosso primeiro contato com o curso. Então, apos o evento, mandamos um email para a professora Luciana, que foi extremamente solicita e nos permitiu que usássemos o nome do projeto para uma edição no estado de São Paulo, alem de nos passar textos bases, informações importante, dicas, etc. E dessa forma a parceria foi realizada com sucesso.

De que maneira a população pode ajudar
Divulgando o curso! Em nosso site disponibilizamos a aba para inscrição das meninas! Todo o projeto esta programado e em andamento, e agora o estagio final é trazer as meninas para o curso! Dessa forma, estaremos indo nas escola para divulgação na semana que vem, e a internet é um grande facilitador! Então compartilhando o link da pagina do facebook e do site e enfatizando que as inscrições estão abertas e que quaisquer duvidas é so entrar em contato! Prometemos um mês incrível e de muitas descobertas para as meninas interessada.