25 de jul de 2017

Circadélica | Saiba o que rolou de melhor neste festivalzão da p**ra


Se você é de Sorocaba ou dessa dimensão, você sabe que rolou o Festival Circadelica esse final de semana (22 e 23/Jul).

O Caneca estava lá presente em todo cantinho, barraca, palco e grama para falar de tudo que rolou nesse final de semana de mágico!

Vamos começar falando do local, a organização arrasou na escolha de lugar, extremamente acessível para ir de ônibus, de Uber e até a pé, o festival tinha pouquíssima fila, a entrada estava super organizada, tinha espetinho de R$5,00 reais e promo de breja 2 por R$6,00. Você quer festival acessível? Pode entrar Circadelica.

O festival estava com uma energia incrível, parte disso era porque você sentia que todos os artistas do line up, e todos os organizadores e todo o publico estavam apaixonados por estarem la, por estarem fazendo parte desse evento tão historio.

E para nós do Caneca foi um privilegio poder fazer parte disso.

Vou falar de alguns shows que foram especialmente incríveis (teremos mais resenhas de shows em outras postagens <3)

PENSE
A banda mineira trouxe um show energético em todos os sentidos, você podia sentir uma força gigantesca vindo do publico para a banda, e a banda retribuía isso com musicas tocadas com muita intensidade e amor. Talento não falta para os meninos nos álbuns de estúdio, mas os caras arrasaram ainda mais ao vivo (quem sabe faz nénom). E para finalizar ainda rolou uma entrevista maravilhosa com eles (a gente vai publicar amanha!).


VIVENDO DO ÓCIO
Os baianos do Vivendo do Ócio não perdem a mão de trazer um show incrível nunca! E no festival não foi diferente, eles souberam misturar musicas dos 3 CDS e  ninguém ficava parado, foi um show extremamente divertido de assistir e faz a gente lembrar e agradecer a fase incrível de artistas e músicas que estamos vivendo.


Justine Never Knew The Rules
Sorocaba bem representado no role, show do Justine sempre é  cheio de energia , mas esse veio com uma dose a mais, o set foi lindo e a banda estava com uma sincronia linda com o público, eles fecharam o show com chave de ouro com Hibernation song,  e teve um momento incrível em que o guitarrista Mauricio simplesmente deu a sua guitarra para uma pessoa do publico tocar com a banda. ONDE MAIS VEMOS ISSO BRASIL?


DEAD FISH
Que showzão da porra! Com uma bandeira escrito Fora Temer (eu amo) o Dead Fish trouxe politica, lutas e vivencia em todas as musicas do show, foi lindo e forte, você se envolvia mesmo que não conhecesse ou fosse fã da banda, uma coisa muito rara de se ver, foi lindo!


WRY
O único defeito desse show foi que devia ter durado mais, porque fizeram um show impecável cheio de musicas clássicas da banda, o coro que o publico fazia acompanhando o vocalista Mario foi emocionante, nesse show foi perceptível o quão forte é a cena de Sorocaba, da cidade amarela para o mundo todo!  A banda tem uma vibe extremamente gostosa e envolvente, um show do Wry não tem como dar errado.


LUDOVIC
Esse show pode ser definido com uma palavra: intenso.
Enquanto o show do PENSE e do Dead Fish a energia saia do publico para a banda, o show do Ludovic saia da banda para o publico, com musicas fortes e discursos do Jair entre uma canção e outra esse show foi um dos mais lindos do festival.
Ele ainda dedicou o show a todas as bandas de Sorocaba (<3) e a população que luta, foi um culto em forma de show, e no final a gente fica com aquela sensação de que devia ter durado mais.


Paula Cavalciuk
Quer show alegre? Quer rir e dançar em um show? Quer letras sensíveis e fortes? Pode entrar Paulinha.
Que show gostoso de assistir, você dança do inicio ao fim, ela finalizou com Maria Invisível e a gente não sabia se prestava atenção na letra fortíssima ou se prestava atenção nos agudos e presença de palco.
Sorocaba é da Paula Cavalciuk.


Francisco, El Hombre
Esse show da para resenhar três paginas só dele.  A banda  montou um carnaval latino americano lá mesmo na Arena Circadelica, as letras eram criticas sociais, as letras falavam de carnaval, as letras falavam de amor e a gente cantava e sambava ao mesmo tempo.
O Apice do show (e do festival) foi a musica “triste louca ou má”, com a participação apenas de minas cantando, foi um nível de intensidade que o Circadelica presenciou que raramente veremos de novo.


MAGLORE
Que amor de show, Maglore sabe fazer o publico dançar, além de tocarem todas as clássicas, eles apresentaram 3 musicas novas do CD que será lançado em setembro.
Musicas como Vamos para rua, Ai Ai fizeram o publico dançar muito, e teve músicas como Mantra e Avenida sete que esquentaram nosso coração  mesmo que Sorocaba estivesse  frio.


Enfim, o festival foi de tudo e mais um pouco, foi lindo em todos os sentidos, queremos um Circadélica por mês! Parabéns a organização e todos os envolvidos nesses dias de só amor!