16 de mai de 2017

O racismo na infância


Crianças negras e seu fardo

Como já estamos cansados de saber (mas mesmo assim precisamos reforçar,pois muitos fazem vista grossa) negros sofrem com um histórico difícil de violência, exploração e discriminação em todo mundo. No Brasil não foi diferente e esse sofrimento de 400 anos atrás mantém reflexos terríveis em nossa sociedade, afetando assim toda e qualquer criança negra que ao nascer são, infelizmente, destinadas a carregar um fardo extremamente triste e desumano, que se chama racismo.

É terrível pensar que crianças reproduzem algo tão extremo como o racismo, mas acontece mais do que imaginamos. Nas escolas sempre existe uma - ou várias - crianças que discriminam outras por conta da cor da pele, mas não basta a discriminação, existem também as piadas constantes sobre o cabelo e os traços das mesmas. Para entendermos isso precisamos prosseguir pelo fato de que crianças apenas reproduzem o que veem e ouvem em casa, na TV e nas ruas, e desta forma, vemos que nossa sociedade é extremamente racista. 

O quão errado é ouvir uma criança de 7 anos insultar outra com xingamentos como "macaco", "cabelo de bombril", "cabelo de bucha", "cor suja", entre outros muito piores que com certeza já ouvimos?! Soa extremamente errado, mas de qualquer forma existem - e sempre irá existir - pessoas que acham isso algo "engraçado", e que fazem questão de afirmar que se trata de brincadeira e que não tem maldade alguma, porém, insultos assim contém tanta maldade que chega a doer, não da criança, mas sim de quem a fez ouvir algo tão cruel a ponto da mesma reproduzir achando que seria algo "legal" ou até mesmo normal de se dizer para os outros. 

Imaginemos agora o quão danificada psicologicamente cresce uma criança negra ao vivenciar uma infância conturbada, repleta de ataques racistas (vale lembrar que muitas vezes as próprias crianças negras reproduzem o racismo pois vira algo "costumeiro" destilar insultos como esses), podemos saber que essa criança sofrera danos permanentes no fundo de seu ser, traumas e medos que muitas vezes ficam anos adormecidos apenas esperando o pior momento para aparecer. São desses traumas que crianças crespas ou cacheadas tomam a triste decisão de alisar seus cabelos, pois ao crescer ouvindo coisas tão cruéis sobre suas belas madeixas elas acabam sendo convencidas de que toda a maldade dita é real e que precisam mudar isso em si para serem bonitos como os coleguinhas, e também são desses traumas que essas crianças crescem com uma auto estima extremamente baixa e uma insegurança enorme, trazendo assim muitos problemas futuros ao crescimento pessoal e profissional dessa criança. 

Ao pararmos para avaliar diversos pontos sobre o quão uma criança negra pode sofrer em sua infância, nós vemos que racismo pode SIM vir de uma criação conturbada e da educação de pais - ou responsáveis - que não repreendem seus filhos quando os mesmos dizem algo preconceituoso e não os auxiliam a desenvolver um senso de que nem tudo é como elas ouvem e veem. Racismo é algo estrutural e afeta uma grande esfera de pessoas, principalmente nossas crianças, seres que já nascem sendo moldados para encarar um mundo tão cruel e violento. Não teríamos trabalho algum ao tentarmos ajudá-los num maior desenvolvimento na busca de uma mente livre de preconceitos, não atrapalharia em nada se cada responsável por essas crianças não fossem negligentes em algo tão simples que é educá-los de uma forma que seja óbvio que não se deve existir distinção por cor da pele, que "cabelo ruim" nunca foi e nunca será algo normal de se dizer para alguém (até porque isso não existe) que "brincadeiras" sobre os traços de crianças negras não é legal, que a correlação dessas pessoas com "macacos" é algo muito cruel, e tentar passar a mensagem de que o mundo seria um lugar muito melhor se respeitássemos uns aos outros, gerando assim mais amor ao invés de preconceito.