11 de mai de 2017

Fazendo cena | A Rapper negra e periférica que chegou a Cannes


De uma família de músicos, onde os pais tocavam na igreja, Clara Lima está fazendo a diferença, desde pequena vem tendo contato com a musica, começou também tocando violão na igreja, porém não demorou para descobrir sua paixão pelo rap, que como ela mesmo diz "é o espaço que ela ia ter, onde sabia que sua voz ia ter voz”

Ela encontrou no rap a liberdade de ser o que é, expor o que pensa e ser de sua forma.

Com fortes opiniões sobre a ocupação das mulheres em espaços predominantemente ocupado por homens, a menina de 17 anos não parou por ai, ser uma menina negra e periférica  e fazer cena no espaço independente do rap não foi o suficiente, a rapper brasileira fará sua estreia internacional no Festival de Cannes 2017, que começa na próxima semana.

O curta que narra a historia de Bia, que esta prestes a se formar no ensino médio e está prestes a entrar na vida adulta!

Conheça um pouco mais sobre essa menina incrível!