14 de mai de 2017

De dia das mãe, nos dê respeito!


Hey, vamos falar das mães?

Oláaaa, nessa data tão linda de filtros no facebook e presentes do Boticário, a gente nem para um pouco para refletir sobre o que é ser mãe  né?

Sim, esse texto é para você mesmo feminista e para as não feministas também, esse texto é até para você homem que não participa do feminismo at all, afinal... Não precisa ser mãe, mulher, feminista, milituda para colocar a mão na consciência né?

Hoje eu não vim falar como Caneca, vim como Ana,  Ana Beatriz, mãe solo (que na  verdade hoje divide a criação da filha com seu companheiro) de uma menina de quase 4 anos, leonina, geniosa, marrentinha, adora Batman,  ama pintar, tem uma banda com sua mamãe  e o papai Pê e que deu o nome dela de Sorocaba Feliz.

Gente ela dá trabalho, e não é pouco...Mas posso contar um segredo? Criança dá trabalho, inclusive você ai Child Free (mulheres que não querem filhos) que acham lindo gritar aos quatro ventos que odeiam crianças e que nunca quer ter um filho, você também deu trabalho para sua mãe!!
Em falar em odiar criança... GENTE PARA! Pensa aqui um pouco comigo: Porque vocês acham um absurdo falar que odeia cachorro, acham um absurdo falar que odeia gay, odeia trans, odeia mulher E ACHAM OK ODIAR CRIANÇA, mais um segredinho mores... Crianças estão no grupo de vulnerabilidade também, mais outra coisa para se pensar: Elas  são o futuro, serão ensinadas como a gente as trata!

E vocês acham que uma mãe – que já sofre de solidão materna, já tem uma sobrecarga gigantesca de trabalho, já, muitas vezes, cria os filhos sozinhas - você acha que essa mãe vai se sentir confortável em um espaço feminista onde tem mulher gritando que odeia quem a gente mais ama?

Vamos colocar em pratica a famosa empatia? Vamos?

Vamos trazer para o feminismo discussões envolvendo a maternidade que passam só do aborto? 

Vamos falar de maternidade compulsória, vamos falar sobre as mães periféricas, vamos falar sobre as mães lésbicas, as mães solos, as mães com necessidades especiais, as mães que são crianças de 12, 13 anos apenas, vamos falar gente?

A maternidade é muito solitária pessoal, você vê seus amigos se afastando de você, e você vê esse mundo de responsabilidade de como criar de maneira perfeita um outro ser humano, muitas vezes sem ajuda.

Vamos apoiar essas mulheres, vamos abraçar elas no espaço, vamos fazer eventos onde as crias sejam bem vindas, vamos se oferecer para ficar com a cria para a mãe sair dançar, dar uns beijos, sair beber, sair estudar. Vamos lutar por creche nas universidades, quantas mães solos universitárias você conhece? Vamos lutar por um amparo digno as mães do sistema penal, vamos brigar por vagas nas creches, e por amparo médico para todas as crianças.

Não odeiem nossos filhos, mulheres! Não tem problema não querer ser mãe, boa parte das mulheres que são mães também não queriam ser, mas não maltrate, não xinguem, respeite, criança faz bagunça, criança grita, faz birra, ela cria, ela destrói, ela ama, sente, chora, como você.

Então de presente não me de flores (chocolate pode), de presente reflita um pouco ok?

E um feliz dia das mães e que a luta nunca seja solitária para nós!

<3