21 de set de 2018

As 5 personagens para celebrar no mês da visibilidade bi!



Em um mundo de padrões monossexuais, normativamente heterossexuais, a bissexualidade é amplamente banalizada. Quantas vezes nós, o grupo B, somos questionados sobre nossas preferências ou reduzidos ao padrão afetivo de nosso relacionamento atual: se namoramos com pessoas de nossa mesma identidade de gênero somos gays ou lésbicas e se namoramos com pessoas do gênero oposto automaticamente “nos tornamos” heterossexuais, quantos de nós escutamos que se podemos “escolher” com quem nos relacionar porque mesmo não escolhemos ser hetero, por exemplo.

Esses são só alguns exemplos de situações que destacam o porquê a visibilidade bi é de extrema importância para a comunidade LGBT.

A bifobia está presente em nossas vidas vindo tanto de fora quanto de dentro da comunidade e já está na hora dela ser debatida e superada! Para comemorar o mês de setembro, mês da visibilidade bissexual, o blog do Caneca separou algumas mulheres bi da literatura, cinema e TV para que serem lembradas e celebradas:


Lisbeth Salander
Internet/Divulgação


A protagonista da série Millennium, escrita por Stieg Larsson, conquistou grande carinho dos fãs por seu misto de vulnerabilidade e força, misantropia, inteligência e forte teor feminista a investigadora particular foi interpretada por Rooney Mara na adaptação estadunidense dos livros suecos se tornando o maior crush bi que você respeita.


Petra Solano
Internet/Divulgação

[ALERTA SPOILER]
Se você ainda está no começo de Jane the Virgin provavelmente conhece Petra como a fria vilã que tenta de todas as maneiras conseguir reconquistar seu ex-marido, Rafael. Mas logo essa mulher aparentemente indestrutível nos mostra uma face muito mais independente e humana chegando a se envolver com sua advogada na 4ª temporada da série.

Korra
Internet/Divulgação

O principal cenário romântico do spin off de A lenda de Aang é o triangulo amoroso entre Korra, Mako e Asami, certo? Errado! O Season Finale surpreendente  da animação A Lenda de Korra mostra um novo casal que conquistou fortemente o coração de seus fãs LGBTs.

Annalise Keating
Internet/Divulgação


A protagonisya de How To Get Away With A Murder é nada mais nada menos que uma mulher independente, negra e bissexual ocupando espaço de liderança e professora universitária, representando muito bem a comunidade B ao nos cativar com uma sexualidade livre e não estereotipada.

Delphine 
Internet/Divulgação

Delphine é uma cientista francesa, estudante de imunologia e pesquisadora do instituto Dyad que forma romantico com Cosima. Personagem favorita entre telespectorxs LGBTs da série, nos deixa cheixs de sentimentos conflituosos entre amor e ódio enquanto torcemos pelo sucesso do casal.


Tenho certeza que você também conhece muitos personagens bissexuais que merecem visibilidade nesse mês tão importante, que tal deixar um comentário compartilhando com a gente os nomes que você incluiria nessa lista?

Texto por Jenifer Romero
Foto por Internet/Divulgação

19 de set de 2018

Anitta se envolve em polêmica após afirmar que não irá se posicionar politicamente



No decorrer desta semana, a hashtag #EleNão, direcionada ao candidato Jair Bolsonaro, do PSL, tomou força nas redes sociais e, com isso, várias celebridades como: Pitty, Deborah Secco, Bruna Marquezine e até mesmo Rachel Sheherazade aderiram a campanha. 

No entanto, a cantora Anitta optou pelo silêncio em relação a sua posição política e, com isso, não demorou muito para que os seus fãs a cobrassem por um posicionamento. Anitta então, utilizou o twitter nesta quarta-feira (19), para se esclarecer, dizendo que “é um direito meu não querer opinar sobre política e eu só estou exercendo esse direito”. 

Os fãs se mostraram intensamente decepcionados com a atitude da cantora, porém, o ápice de toda essa discussão se deve ao fato de que Anitta havia seguido uma conta em seu instagram, declarada abertamente a favor ao candidato Jair Bolsonaro.

O seu público, composto majoritariamente pela comunidade LGBTQ+, resolveu se manifestar negativamente em relação a atitude da cantora, visto que Bolsonaro é declaradamente contra a comunidade e está constantemente envolvido em polêmicas no que diz respeito a esta.

Em seguida, a cantora declarou: “Eu não segui um perfil em apoio à nenhum candidato. Segui um perfil de uma amiga de 8 anos que finalmente consegui reencontrar e se ela escolheu expor seu voto é um problema dela”.

Mais tarde, Anitta ainda afirmou fazer parte da comunidade LGBTQ+, ao publicar: “é totalmente incoerente dizer que eu apoio a morte à comunidade LGBTQ+ quando eu faço parte dela. Estaria apoiando minha própria morte”. 

Até o momento, os fãs da cantora encontram-se divididos em relação as suas recém atitudes.


Texto por Bruna Moraes
Foto por Reprodução/Instagram

5 de set de 2018

Caneca Baile Queer agita Maloca Centro Criativo



Para dar ainda mais peso na programação do Caneca Pride, no último sábado o Caneca Sorocaba organizou no Maloca Centro Criativo o primeiro Baile Queer, festa totalmente dedicada para quem não tem medo de se esconder.
Junto ao coletivo, a drag Marvena assinou a festa e comprou total a ideia. O evento contou com performances de Úrsula Further e Ariel La Freaky enquanto discotecagem ficou por conta de Ana Laura e Marvena.

A atração mais que especial da noite ficou por conta de nada mais nada menos que Guihgo e Tchelo do Quebrada Queer. Xs meninxs se apresentaram durante a festa com hits solos e também do Quebrada.


Já em primeira mão adiantamos que nós, do Caneca, batemos um papo bem legal com elxs e logo logo tem material exclusivo chegando! A parceria foi forte assim como o rolê!

Texto por Rodrigo Cardoso
Fotos por Paulo Falcadi

3 de set de 2018

Encontro de resistência: Feira do Brejo tem proposta única na região


Um ambiente leve, colorido, repleto de manifestações artísticas e com seu lado político, de resistência e visibilidade. Esse foi o cenário que transbordou a casa PUPA. A “Feira do Brejo” foi realizada no último dia 24, que deu início à agenda Caneca Pride, programação especial dedicado à parada LGBT de Sorocaba. E nada mais justo que marcarmos esse início com um role totalmente focado no publico lésbico aproveitando que Agosto é o mês da visibilidade lésbica.
Com o intuito de dar espaço para que mulheres pudessem expor seus trabalhos, a feira abrangeu as mais variadas frentes indo de fotografias com Bruna Pregnolatto, flash tattoos com Manu Darian, passando por roupas do brechó Casca de Bétula e da marca Chica's T Shirts, até ilustrações feitas por artistas como Gabrielle Corrêa, Alarme Feminista, Espaço de Marte e muito mais. O evento também contou com som ao vivo com a Allana Rodrigues além da presença da galera do Girls Rock Camp.
Em conversa com Luana Salum, uma das criadoras e organizadoras da Feira do brejo, ela comenta ter focado bastante na importância de um evento cultural desses, que teve sucesso graças a ajuda tanto das meninas quanto do dono do PUPA, “Quando se fala de LGBT, sapatão sempre é meio esquecida, então eu achei uma ideia massa começar com a gente. É o nosso mês”. Salum falou também que pretende dar continuidade à feira, trazendo edições diferentes e cada vez maiores.

Texto por Vivian Piloto


30 de ago de 2018

Super Drags se torna alvo de crítica e Netflix rebate

Vedete Champagne, personagem dublada por Silvetty Montilla
Abrindo cada vez mais espaços para cartazes que colocam protagonistas pertencentes a grupos de minorias, a Netflix anunciou seu próximo lançamento: uma animação brasileira com dragqueens, produzida pelo Combo Estúdio.

Durante o teaser podemos ver 3 personagens passando por uma transformação, mudando inclusive vestimentas e o título da produção no final. Confira:


A animação será baseada em 3 funcionários de uma loja de departamentos e que aguentam um chefe totalmente "escroto". Já a noite, necas são aquendadas para salvar o mundo da maldade e da caretice.

Apenas com o teaser muita gente se incomodou, inclusive a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) que lançou uma nota de repúdio solicitando que o lançamento de Super Drags fosse cancelado, por considerar o conteúdo prejudicial ao público infantil. Esta questão foi levantada porque a SBP alega os perigos de utilizar uma linguagem naturalmente considerada infantil para dialogar temas destinados ao público adulto.

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA

Em decorrência de tanta polêmica com o lançamento de Super Drags, a Netlflix se posicionou através de um vídeo, tendo "Vedete Champagne", dublada pela drag queen brasileira Silvetty Montilla. No vídeo, a personagem deixa bem claro que a classificação indicativa é de 16 anos, fazendo com que a produção não entre no catálogo kids da plataforma de streaming por conter cenas com inadequações intensas como: violência, sexo ou nudez e drogas.


A data de lançamento ainda não foi anunciada.

Texto por Rodrigo Cardoso


29 de ago de 2018

Quatro autoras lésbicas que você precisa conhecer!



Em 29 de agosto é comemorado o dia nacional da visibilidade lésbica com o objetivo de combater a lesbofobia e invisibilização da mulher homossexual. Para celebrar um dia tão importante como este e sabendo que consumir as obras de artistas lésbicas é de suma importância, nós, da equipe do blog do Caneca, decidimos trazer para vocês 4 escritoras lésbicas que merecem mais visibilidade e reconhecimento por seus grandes feitos pela literatura:

Alison Bechdel
Autora (ao centro) com o time de "Fun House" durante premiação de melhor musical no prêmio Tony, em 2015.
Foto: Theo Wargo/Getty Images

A cartunista estadunidense e criadora do teste de Bechdel, que avalia a preconceitos e estereótipos femininos no cinema, lançou seu primeiro trabalho tratando de relacionamentos lésbicos ainda nos anos 80 com o título de “Dykes to Watch Out For”, posteriormente ficou mais conhecida pelo seu premiado HQ “Fun Home: uma tragicomédia em família” que ainda recebeu adaptação para musical levando a primeira protagonista lésbica para a Broadway e sendo premiado com cinco Tony Awards. Seu trabalho mais recente é o HQ “Você é Minha Mãe? ” Publicado no Brasil em 2013 pela Companhia das Letras.

Cassandra Rios
Foto: AdoroCinema

Aos 16 anos Cassandra Rios lançou seu primeiro livro “A volúpia do Pecado” que se tornou a primeira obra brasileira com personagens lésbicas publicada ainda em 1948. Durante sua vida a autora teve 36 livros publicados retratando em sua maioria mulheres LGBT em romances que rompiam com o estereótipo da época da mulher movida pelo amor romântico, entretanto sua obra foi altamente censurada sendo que aos 21 anos foi condenada à prisão domiciliar por conta da temática de suas publicações. Apesar de todas as tentativas sua voz não foi silenciada a autora se tornou a primeira mulher a vender um milhão de exemplares no Brasil.

Patrícia Highsmith
Foto: Murder & Mayhem

A autora, que teve seu primeiro livro “Strangers on a Train” adaptado ao cinema por Alfred Hitchcock, marcou a literatura lésbica ao escrever “Carol” o primeiro romance entre duas mulheres com um final bem-sucedido de extrema importância para a representatividade lésbica que finalmente pode encontrar um final feliz para um casal de mulheres homossexuais.

Safo
Safo e Erinna em um Jardim em Mytllene, 1864 (Galeria tate Britain)

É verdade que a maior parte das obras da mais conhecida poetisa da Grécia Antiga se perdeu ao longo da história devido a censura época medieval, mas ainda é possível encontrar fragmento de seus poemas como “Adeus a Atis”, a primeira poesia de cunho lésbico a marcar a história ocidental. É também dela que advém a palavra lésbica, já que Safo nasceu na ilha de Lesbos e se tornou conhecida por seu amor a mulheres.


Por Jenifer Romero

Prefeitura da oportunidade à grafiteiros da região



Até o dia 21 de setembro, a Prefeitura de Sorocaba receberá inscrições de artistas visuais interessados em grafitar caminhões de coleta de lixo da cidade. A ação, realizada por meio da Secretario de Cultura e Lazer (Secultur), contemplará até 10 obras que tenham um investimento máximo de R$2600, tendo o valor do material a ser utilizado já incluso na quantia.

Segundo a própria Secultur, os grafites serão reproduzidos em dez painéis de caminhões com tamanho 2,30m X 1,80m e cada artista poderá ser contemplado com, no máximo, quatro obras.
A seleção das obras escolhidas se dará através de uma comissão feita por 3 peritos avaliadores inscritos no Edital de Chamamento de Peritos Secultur nº 07/2018. A avaliação e classificação serão feitas de acordo com as informações do artista e também serão levadas em consideração as avaliações de portfólio de atuação artística.

Para realizar a inscrição, você deverá apresentar um comprovante de endereço atual em seu nome, seu portfólio e até quatro propostas de abras de grafite em tamanho até A3, contendo explicação sobre cada uma delas. O local de realização da inscrição é a Casa 52 (sede da Secultur), localizada na avenida Afonso Vergueiro, ao lado do Museu da Estrada de Ferro Sorocabana e do Chalé Francês. O horário de funcionamento é das 9h às 16h.

Para mais informações, acesse o edital publicado na página 3 do Jornal do Município da segunda-feira (27) ou ligue para (15) 3211.0143 / (15) 3211.0578.

Por Rodrigo Cardoso
Imagem: Paulo Mumia/Rio 2016 (disponível em "My Modern Met")

28 de ago de 2018

13ª Parada do Orgulho LGBT acontece em Sorocaba


A 13ª Parada LGBT de Sorocaba teve como tema “Nosso voto é nossa luta” e levou uma multidão à Zona Sul da cidade. O evento começou por volta das 14 horas deste domingo (26) e se encerrou por volta das 20 horas na Praça do Campolim.

Durante a parte da tarde, a programação contou com apresentações artísticas de dragqueens, além da passeata que percorreu toda a Avenida Barão de Tatuí. Nesta edição, o evento procurou conscientizar a população sobre não somente à política LGBT, mas também para chamar atenção para pontos como a defesa dos direitos humanos, a garantia do voto como um direito popular dentro de uma democracia além de alertar também sobre maneiras de se dialogar sobre política com famílias, amigos e colegas com foco na troca de ideias e debates respeitosos. 


Por volta das 18 horas, a organização da parada homenageou pessoas influentes no cenário LGBTQI da região da cidade. Confira abaixo a lista dos nomes que foram homenageados:
  • Padrinho Trans 2018 - Kaiool Leonard
  • Madrinha Trans 2018 - Márcia Fernanda
  • Drag Parada 2018 - Alanna Black
  • Madrinha Lésbica - Viviane Mendonça
  • Padrinho Gay - Igor Galli
  • Princesa Drag 2018 - Aisha Monnari
  • Personalidade LGBT de Sorocaba - Pietra Bastis
    CANECA PRIDE

O #CanecaPride, programação especial que o Coletivo Caneca organizou para a Parada do Orgulho LGBT de Sorocaba, se iniciou na sexta-feira com a Feira do Brejo, na PUPA e terminou com a Festa das Pocs de Ouro, AfterParty oficial da Parada que aconteceu no BlackBird Pub House.


No total, foram mais de 2 mil pessoas que passaram por todos os eventos que fizeram parte de nossa programação em diversos pontos da cidade. A gratidão reina em nossos corações por todos os envolvidos, desde o público presente lutando por mais espações de debates e ambientes seguros à minorias, até toda a produção com as casas e espaços de eventos (Asteroid Entretenimento, Edub Two, BlackBird Pub House, PUPA Eventos Criativos e Maloca Centro Criativo) com nossa equipe.



Texto por Rodrigo Cardoso
Imagens por Paulo Falcadi - mais imagens em 13ª Parada LGBT de Sorocaba 

Febre: Festival & Conferência de Música anuncia LineUp completo


A organização do festival anunciou nesta segunda-feira o lineup oficial da edição do evento que acontecerá entre os dias 17 e 21 de outubro. O anúncio foi feito através de um vídeo maravilhoso que faz jus à identidade do festival deste ano.


Desta vez serão 26 shows contando com nomes como Rincon Sapiência; Francisco, El Hombre, Anelis Assumpção, Marrakesh, Curumin, Luê e diversos outros. Já as conferências deste ano abordarão 8 temas que vão desde “O que a economia criativa tem a ver com a música?”, “A Urgência da Música Negra” até exposições e minicursos de fotografia de palco e trilha sonora gamer.

O Febre: Festival & Conferência de Música acontecerá no mês de outubro. Para adquirir seu passaporte basta clicar aqui. Acompanhe as novidades também através do evento oficial no Facebook.

Texto por Rodrigo Cardoso
Arte por Daniel Bruson para Febre: Festival e Conferência de Música

Da Sarjeta: Baile Black movimenta praça pública em Sorocaba


Mais um encontro “Da Sarjeta” rolou no último domingo (19), em Sorocaba. Dessa vez, o evento aconteceu na Praça Syrio Lazaro Baldochi no Nova Manchester, tendo apresentações do Slam Resistência, DJ Tamara, Venosa MC, Preferencial MC, Léo Silva fazendo parte da programação.

O projeto nasceu a partir do curta-metragem “Sarjeta", produzido pela Terra Digital e Quitera Filmes. O produto que aborda o ativismo do jovem na periferia através do rap e hip-hop buscando, na linha de frente paz e liberdade. Hoje, o projeto é formado por 4 pessoas: DJ Mini Rasta, Puro Osso, TX e Kaone Dazo projeto trazendo deles e a quem eles o levam, uma visão social em que os integrantes desenvolvem apresentações culturais e arrecadações em prol da comunidade carente da região. 

A ideia, que não se limitou a apenas um documentário, cresceu e agora se partilha por praças, onde moradores se aconchegam próximo as apresentações, crianças recebem de voluntários materiais para produção de pipas e participam de oficinas de trança, pinturas faciais, além de doações. “Queremos trazer o rap cada vez mais para a comunidade, mas também queremos que esse mesmo rap, chegue a bairros nobres, que todos tenham acesso à cultura da perifa, que saibam e conheçam a realidade da comunidade” diz Gabriela Vieira, 23 anos, uma das produtoras do curta. O projeto, funciona sem qualquer apoio político, faz das intervenções atos de indignação do povo aos representantes. 

Para Sillas, rapper aos 25 anos, conhecido como Puro Osso, o Sarjeta já é mais que um grupo, mas uma religião. No levante que segue firme desde 2011, algumas pessoas adentraram, outras estiveram de passagem, visitantes, mas todas tiveram fé de que do fruto sairia a glória. Glória que não se trata de dinheiro, nem de fama, muito menos de poder. Se trata de respeito ao que se faz, ao próximo, amor as pessoas, liberdade para poder partilhar suas vivencias e seu cotidiano, além de ajudar os moradores dos bairros marginalizados, a se descobrirem e criarem uma visão de ser e em ser alguém num futuro. 

O projeto ainda prevê outros encontros pelas praças da cidade, além de aflorar mais a força e resistência da cena pela região. Sempre com muito respeito por todxs e que independente de quem seja, estão todxs convidadxs a estar presente nos próximos eventos. 

Quem quiser ouvir um pouco do som do grupo, pode acessar o novo Ep “Navegantes da Maré Sem Fim”, disponível nas principais as plataformas digitais. Para mais detalhes e para acompanhar o grupo, é só visitar a página oficial, o canal do YouTube:

Texto por Eduardo Lira
Foto de Capa por Roberto Paixão - Para ver as fotos do evento, acesse https://bit.ly/2wjyJzy

Caneca Pride | Tchelo e Guigo dx Quebrada Queer se apresentam no Baile Queer do Caneca + Maloca


Em parceria com o Maloca, o Coletivo Caneca realizará o primeiro Baile Queer da região para encerrar com a programação do Caneca Pride 2018. A partir das 21 horas deste sábado (01), o Coletivo trará uma festa inteiramente dedicada ao público Queer que contará inclusive com a presença de nada mais nada menos que Tchelo Gomez e Guigo, dx Quebrada Queer.

O evento é assinado pela drag queen sorocabana, Marvena, participante do Desmonte: Um novo olhar sobre o cenário drag.

Quebrada Queer

Lançado de forma independente em junho deste ano, o grupo Quebrada Queer fez história por colocar a representatividade LGBT do começo ao fim no rap, um dos lugares da música com raízes machistas extremamente fortes.

Em seu primeiro vídeo, o grupo composto por Murillo Zyess, Guigo, Harlley, Lucas Boombeat e Tchelo Gomez atingiu mais de 1,5 milhões de visualizações em menos de 3 meses. Na letra, além de cantarem sobre representatividade das minorias, quebra de tabus e amor, o grupo faz referências à outros manifestos artísticos que vão de frente ao conservadorismo, como a rapper Alice Guél em: "Alice Guél hitou mandando um: Deus é travesti; Segura o queixo que esse trecho é feito pra engolir."

Assista ao vídeo:



Aceita, Atura ou Surta.

Por Rodrigo Honorato

18 de ago de 2018

Da Sarjeta: Baile Black acontece em praça pública


Seguindo a programação Caneca do mês de agosto, neste domingo (19), a partir das 14h, vai rolar o “Da Sarjeta: Baile Black”, na Praça Syrio Lazaro Baldochi. Será um dia inteiro com diversas apresentações de grupos de rap, poetas resistentes do Slam, batalhas de rima com MC’s e mais 3 DJ’s que vão abalar tudo durante o evento.

A entrada do role é gratuita e aberta a todxs interessadxs. A Praça fica em esquina da Rua Pedro Sola, com cruzamento à Av Padre Joaquim Gonçalves Pacheco, Jardim Nova Manchester - Sorocaba.


Por Eduardo Lira